As Posições dos Jogadores: “Lateral” ou “ala”?

29 de jul de 2008

As Posições dos Jogadores: “Lateral” ou “ala”?

Que maravilha! Quando o nome ajuda, tudo fica fácil! É óbvio que o lateral é aquele jogador que joga na lateral do campo, certo? Sim, e além disso normalmente é ele quem cobra os arremessos laterais. Mas qual a diferença entre o ala e o lateral? Será que são apenas dois nomes para a mesma função? Com certeza não. Os laterais fazem parte da linha defensiva, enquanto os alas são jogadores de meio campo e não tem que se preocupar tanto com a marcação.

Para que os alas possam ir ao ataque com maior liberdade, é muito comum utilizá-los em esquemas com 3 zagueiros e/ou com volantes que façam a cobertura nos flancos do campo. Os laterais também vão ao ataque, mas normalmente isso acontece alternadamente (quando o esquerdo sobe, o direito fica próximo aos zagueiros e vice-versa). Nada impede que o técnico dê liberdade aos seus laterais e retire suas obrigações defensivas, mas neste caso talvez seja mais interessante passar a considerá-los como meio-campistas, ou seja, alas, mesmo que a equipe esteja jogando com apenas 2 zagueiros!

Para entender um pouco mais sobre os laterais e alas, vejamos alguns exemplos reais destas funções, começando pelos laterais de ambos os times no confronto entre Palmeiras e Fluminense pelo Campeonato Brasileiro da série A (16/07).

Exemplos Reais - Laterais:

Élder Granja e Leandro(Palmeiras)
(Vs. Fluminense 16/07/2008)

Júnior César e Rafael (Fluminense)
(Vs. Palmeiras 16/07/2008)

O Palmeiras joga no esquema 4-4-2 com 2 zagueiros e 2 laterais (Élder Granja e Leandro, representados acima). Fica nítido que ambos atuam tanto no campo defensivo quanto ofensivo. Porém, podemos notar que Leandro vai mais ao ataque, deixando Élder Granja mais preocupado com a defesa. Vale lembrar que o Palmeiras jogava em casa e seus defensores eram pouco exigidos.

Agora vejamos os laterais do Fluminense, também utilizando o 4-4-2. Nota-se que existe uma preocupação ainda maior dos laterais com o sistema defensivo, inclusive com ações dentro da área. Ambos chegaram raramente à linha de fundo, o que mostra que apesar de usarem o mesmo sistema de jogo, Palmeiras e Fluminense dão orientações diferentes aos seus laterais.

Exemplos Reais - Alas:

Pablo e Wágner Diniz (Vasco)
(Vs. Atlético-PR 20/07/2008)


Vítor e Romerito (Goiás)
(Vs. Coritiba 12/07/2008)

As funções de ala e lateral são parecidas, porém não idênticas. Pablo e Wágner Diniz, alas do Vasco, atuam mais no meio campo e no ataque, chegando diversas vezes na linha de fundo. Também existem ações na defesa, porém mais isoladas do que os exemplos anteriores.

Vítor e Romerito foram os alas da equipe do Goiás na partida contra o Coritiba e atuaram definitivamente como jogadores de meio campo. Os 3 zagueiros faziam a cobertura das laterais e davam liberdade aos alas para chegarem à linha de fundo. No campo de defesa eram responsáveis por compactar a equipe, auxiliando a marcação dos jogadores de meio campo do adversário.

Ainda podemos encontrar outras diferenças entre essas funções, principalmente se compararmos as equipes brasileiras e européias, as quais têm outros conceitos sobre o assunto. Será possível uma mesma equipe usar laterais e alas? Laterais podem ser mais parecidos com zagueiros do que com alas? Por enquanto estas perguntas ficarão sem resposta, mas voltaremos a abordar o assunto em outra oportunidade!

2 comentários:

Cabral disse...

Pelo que entendi vcs falam que os alas atuam como os "Antigos"Meias Direita e esquerda.Seria isso?

Marques disse...

Tenho 53 anos de idade e sou lateral esquerdo desde minha juventude. Os anos se passaram e ainda gosto de jogar adiantado, mas é difícil fazer com que essa geração compreenda que eu não tenho mais condições de voltar para minha posição rapidamente. Sendo assim,deixo os zagueiros desesperados porque não é possível fazê-los compreender a necessidade de alguém cobrir a minha função.