Dois jogos de 45 minutos com um só resultado: Brasil 1x0 Suécia

26 de mar de 2008



O Brasil ganhou? Bom... Isso depende do ponto de vista! Na verdade, podemos interpretar que o Brasil empatou um jogo e ganhou outro! E foram dois jogos diferentes, cada um com apenas 45 minutos. Foram 6 substituições no Brasil e outras 6 na Suécia, incluindo o goleiro. Mas não é só por isso que estamos dividindo esta partida em duas partes. Foram duas seleções diferentes em campo: a “principal” e a “olímpica”, salvo pouquíssimas alterações. Vejamos as escalações e substituições das duas equipes (figuras 1 e 2):


Fig.1: Escalação Brasil

Fig.2: Escalação Suécia


A seleção principal entrou em campo bastante organizada, passando a bola com qualidade e com as posições bem definidas. Como era esperado, só o Brasil atacava e a Suécia se defendia e utilizava os contra-ataques. No posicionamento efetivo do Brasil no primeiro tempo (figura 3), podemos ver que apenas Alex (4) e Lúcio (3) ficaram mais no campo de defesa. Na figura 4 pode-se perceber que o Brasil passou mais vezes a bola no setor esquerdo durante o primeiro tempo. As atuações de Gilberto Silva (8) e Júlio Baptista (7) chamaram o jogo para este lado. É uma pena que Luís Fabiano (9) não tenha conseguido aproveitar os insistentes cruzamentos errados de Richarlyson (6) (foram 5, todos errados!) no meio da zaga (dos gigantes) da Suécia.


Fig.3: Posicionamento Efetivo do BRASIL - 1o Tempo

Quer saber o que significa Posicionamento Efetivo? Clique Aqui!

Fig.4: Passes Certos BRASIL - 1o Tempo



A seleção sueca entrou preocupada principalmente com a marcação. Seus meias e volantes (jogadores no. 9, 8, 6 e 7) faziam a primeira linha de combate e os zagueiros e laterais (5, 4, 3 e 2) faziam a segunda. Ambas as “linhas” apareceram no posicionamento efetivo da equipe no primeiro tempo e foram destacadas na figura 5. Na parte ofensiva os contra-ataques suecos eram perigosos principalmente pelos flancos, o que resultou em diversas finalizações dentro da área, onde os atacantes levaram muita vantagem (figura 6).


Fig.5: Posicionamento Efetivo da SUÉCIA - 1o Tempo


Quer saber o que significa Posicionamento Efetivo? Clique Aqui!

Fig.6: Finalizações Suécia – Jogo Todo



No segundo tempo foi a vez da seleção brasileira (quase) olímpica tentar mostrar serviço. Alexandre Pato (21) e Anderson (19) entraram aos 59 minutos. Hernanes (17) e Thiago Neves (20) entraram ainda antes do gol da vitória. Em seguida os dois laterais foram substituídos por Marcelo (16) e Rafinha (13). E o que dizer dos mais jovens? Deve-se olhar para o resultado e dizer que estão prontos? Com certeza não! Na figura 7 pode-se ver o posicionamento efetivo do Brasil no segundo tempo.

Fig.7: Posicionamento Efetivo do BRASIL
2o Tempo


Quer saber o que significa Posicionamento Efetivo? Clique Aqui!


Todos entraram bem e com muita vontade, dando velocidade ao time. Anderson e Thiago Neves deixaram o meio campo mais leve, porém um pouco mais afobado. Pato recebeu poucas bolas e ficou isolado com Robinho buscando jogo no meio campo. A atitude da equipe em campo era mais agressiva e pode-se dizer que a tranqüilidade da equipe foi mantida pela permanência em campo do experiente Gilberto Silva (8), que comandava a marcação e a saída de bola.

Só mais um detalhe: o Brasil acertou o gol adversário apenas 4 vezes, sendo que uma entrou. A figura 8 mostra a origem e o destino das finalizações. Como o Brasil não encontrava espaço para finalizar de perto, tentou de longe, sendo que a maioria dos chutes foram interceptados ou errados. Pato resolveu o jogo com um golaço após uma falha grosseira do goleiro sueco.


Fig.8: Finalizações do Brasil – Jogo Todo


Para finalizar, que tal um resumo do jogo? A Suécia se defendeu bem e nenhuma das equipes brasileiras conseguiu aproximar-se da meta com eficiência. Seria muito “anti-patriota” dizer que não fomos grandes merecedores desta vitória? É claro que o Brasil tem mais qualidade e maior volume de jogo ofensivo, mas a Suécia (quase) provou que permanecer no ataque o jogo inteiro não resulta necessariamente em um resultado positivo. E fica uma crítica ao Dunga e à comissão técnica brasileira: por que não treinar uma equipe só, tornando o amistoso mais proveitoso no que diz respeito a evolução de um time? O Brasil tem que pensar em ganhar a olimpíada, a copa do mundo e todos os campeonatos que participar! E para isso a vitória em um amistoso não pode ser mais importante que o entrosamento e o desenvolvimento de uma das equipes.

Para que serviu o amistoso além da recompensa financeira?


Clique no link abaixo para baixar o relatório de scout completo:

Brasil 1x0 Suécia

Dados fornecidos pela ScoutOnline

2 comentários:

Carlos Motta disse...

incrivel o Luis Fabiano jogou? vi na lista de ações que ele deu 6 passes e praticamente só isso. Não fez mais nada, tem algo estranho ai deve ter empresário querendo valorizar jogador somada a excelente noção técnica do técnico anão da branca de neve, que deixa um atacante isolado na seleção brasileira.

Jefferson disse...

É verdade, o luís fabiano ficou isolado e não conseguiu receber as bolas... Mas a função dele não é passar... Será que o problema não era com o resto do time???