Cabanãs: o carrasco dos brasileiros ou apenas falta de planejamento

16 de mai de 2008

Cabanãs: o carrasco dos brasileiros ou apenas falta de planejamento e desconhecimento para marcá-lo

Eduardo Fantato

Incrível como cada vez mais me surpreendo (embora devêssemos cada vez menos surpreender-me) com o despreparo (ou seria um desviar de foco) dos profissionais brasileiros que atuam no futebol e ainda mais com os profissionais brasileiros que atuam na mídia esportiva.

Quando o América do México fez 3 x 0 no Flamengo em pleno Maracanã e literalmente jogou água no chope da festa de despedida de Joel Santana, vimos infinitas desculpas e uma surpresa enorme pelo tal feito. O personagem principal: o paraguaio Cabanãs, gordo, lento, pouco habilidoso, feio, cabeludo, e que se fosse bom estaria jogando na Europa e não no México. Esses foram os atributos para o “desconhecido” Cabanãs , atributos esse colocados tanto por técnicos e jogadores como por boa parte da imprensa brasileira.

Agora com seus 2 gols contra o Santos pelo primeiro jogo das quartas de final entre as equipes, vemos manchetes de tal gênero:
“Cabañas, atacante do mexicano América que parecia fora de forma, marca duas vezes e derruba Santos”

Ai que estão nossos argumentos da importância de se estudar o futebol, e gente...neste caso não precisamos ir muito a fundo não. Em 2007 Cabanãs marcou 33 gols e foi eleito por alguns veículos de comunicação (pelo visto nenhum do Brasil) o principal jogador das Américas. Destes gols ,10 foram na Libertadores de 2007, no qual terminou como artilheiro.

Em 2008 já contabiliza mais de 15 gols, sendo 8 na libertadores já contabilizando os últimos 2 contra o Santos. Para se ter uma idéia da importância do jogador dentro da equipe do América, vejamos alguns dados referentes a partida que Cabanãs calou o Maracanã eliminando o Flamengo:

- 2º maior passador da equipe com 13% do total de passes da equipe.
- 40% das faltas recebidas pelo América foram nele (apenas lembrando que bolas paradas tem tido uma “razoável” importância no futebol moderno).
- 70% das finalizações da equipe (total de 10) foram realizadas por ele.

Essa é uma análise simples e não precisamos ser nenhum expert para saber que o tal jogador “gordinho’ merecia atenção especial, agora imagine se fizermos um estudo aprofundado, com certeza não era para o “ruim” Cabañas encostar na bola, o que acham???

2 comentários:

Evarsito disse...

Cabanas neles! Se é inveja do cara gordo, logo logo o Fla tem seu gordomeno Ronaldo.

pelé disse...

Fico de cara....
e a galera da tv é ruim mesmo né!!! E falam com uma propriedade sem igual....
Quero ~ver um jogo pela tv no estilo reality show, liga a câmera e fica quieto... deixa eu ouvir a fiel gritar...

timão êô...

Cabanas meu querido, pau neles!!!